Olho do furacão Nate, de categoria 1, se aproxima dos EUA

Miami, 7 out (EFE).- O olho do furacão Nate, de categoria 1 com ventos máximos constantes de 150 km/h, está se aproximando da foz do rio Mississipi, nos Estados Unidos, onde os seus efeitos já são sentidos devido à chegada das raias de chuva, informou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês) desse país.

Nate, que deixou mais de 25 mortos em sua passagem pela América Central, está 80 quilômetros ao sul da foz do rio Mississipi e 225 quilômetros ao sul da cidade litorânea de Biloxi, de acordo com o boletim do NHC emitido as 18h de Brasília).

O furacão se desloca a 37 km/h e espera-se que o seu centro alcance a foz do rio Mississipi nas próximas horas e, posteriormente, no transcurso da noite, o litoral do sudeste da Luisiana e do Mississipi.

Após tocar o solo, o olho de Nate passará por "partes de Mississipi, Alabama e Tennessee" durante esta noite e no domingo, informou o centro meteorológico.

De acordo com o NHC, Nate, cujas raias de chuva já produzem condições de tempestade tropical em áreas costeiras da Luisiana, pode se fortalecer nas próximas horas e atingir a categoria 2, ou seja, com ventos superiores a 154 km/h.

Além disso, Nate provocará um aumento do nível do mar de mais de 3 metros em partes da foz do rio Mississipi e na fronteira entre este estado e o Alabama, e de até 2,7 metros na Baía de Mobile (Alabama) e no extremo oeste da Flórida, segundo o NHC.

Este aumento do nível do mar será acompanhado de "grandes e destrutivas ondas".

A guarda costeira dos EUA estabeleceu nas últimas horas nos portos de Mobile e Nova Orleans o alerta Zulu, que suspende todas as operações marítimas.

Alabama, Mississipi e Luisiana já se encontram sob estado de emergência pela iminente chegada do ciclone.

O governador da Luisiana, John Bel Edwards, mobilizou 1.300 efetivos da Guarda Nacional de forma preventiva diante de um possível impacto direto do ciclone, pois o território possui um histórico de furacões e foi arrasado pelo Katrina em 2005, que causou mais de 1.800 mortes.

A faixa costeira entre a Grande Ilha da Luisiana e a fronteira entre os estados de Alabama e Flórida, assim como a região metropolitana de Nova Orleans, estão sob alerta de furacão, ou seja, a chegada do sistema de baixa pressão em menos de 24 horas.

O NHC também emitiu uma advertência de furacão para a região nos arredores dos condados de Walton e Okaloosa, no extremo leste da Flórida, estado que há menos de um mês sofreu os efeitos devastadores do furacão Irma.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos