Venezuela liberta jornalistas detidos em presídio em Aragua

Caracas, 8 out (EFE).- Os jornalistas detidos na sexta-feira em uma prisão da Venezuela, dois estrangeiros e um local, quando realizavam um trabalho de investigação jornalística, foram libertados depois de se apresentarem às autoridades em uma audiência, informou neste domingo o Sindicato de Trabalhadores de Imprensa (SNTP, sigla em espanhol) do país sul-americano.

"Liberdade plena para os jornalistas Jesús Medina, Filippo Rossi e Roberto Di Matteo, detidos na sexta-feira em Tocorón", escreveu o SNTP no Twitter.

Os jornalistas foram detidos por agentes do Ministério do Poder Popular para o Serviço Penitenciário venezuelano quando visitavam o Centro Penitenciário de Aragua, mais conhecido como prisão de Tocorón, situada no estado de Aragua (centro-norte), onde estavam fazendo um trabalho jornalístico.

Medina, Di Matteo e Rossi foram acusados de entrar sem autorização com equipamento de audiovisual em Tocorón; no entanto, o SNTP afirmou que estes entraram "de forma regulamentar na prisão".

Tocorón é um dos centros nos quais ainda não foi implantado o novo regime penitenciário venezuelano, que, segundo o plano de governo, tenta "pacificar" as penitenciárias.

Diversos veículos de informação venezuelanos denunciaram que dentro da prisão de Tocorón são organizados sequestros, ações para extorquir a população e se gerencia o tráfico de alimentos, entre outros crimes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos