Tribunal examina rastros de VX em roupa de acusadas de matar Kim Jong-nam

Bangcoc, 9 out (EFE).- O julgamento na Malásia pelo assassinato de Kim Jong-nam - irmão do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un - entrou nesta segunda-feira na sua segunda semana com a visita ao Departamento de Química para revisar as evidências do uso do agente nervoso VX na morte.

Na sexta-feira, Raja Subramaniam, diretor do Centro de Armas Químicas do país, disse que foram encontrados rastros do neurotóxico, considerado pelas Nações Unidas como uma arma de destruição em massa, na roupa de ambas as acusadas.

O juiz Azmi Ariffin, os promotores e os advogados defensores visitaram nesta segunda-feira durante mais de uma hora e meia as instalações, entre fortes medidas de segurança, junto com a indonésia Siti Aisyah e a vietnamita Doan Thi Houng, únicas detidas pelo crime.

Conforme o relato de Subramaniam, é possível que o veneno encontrado nas roupas das acusadas ainda continue ativo, reporta o jornal "The New Straits Times".

A visita aconteceu sem a presença de meios de comunicação, enquanto que a declaração de testemunhas prevista para a tarde foi adiada para terça-feira.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos