Líder turco declara que não reconhece embaixador dos EUA

Belgrado, 10 out (EFE).- O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, anunciou nesta terça-feira em Belgrado, na Sérvia, que nem ele, nem seu governo, reconhecem o embaixador dos Estados Unidos em Ancara, John Bass, como representante diplomático de Washington, após a crise gerada pela suspensão de emissão de vistos.

"Esse embaixador conclui sua missão, mas nem eu, nem os meus ministros, vamos recebê-lo", disse Erdogan após uma reunião com o presidente sérvio, Aleksandar Vucic.

O presidente turco especificou que Bass está realizando atualmente as visitas habituais de despedida (segundo a imprensa turca, em dois dias ele assumirá a embaixada no Afeganistão), mas nenhum integrante do governo as aceita, devido à situação.

"Nem os nossos ministros, nem o presidente do parlamento, muito menos eu, aceitamos essas visitas de despedida porque não o vemos como representante dos Estados Unidos na Turquia", declarou o governante.

"Primeiramente, não fomos nós que começamos. Isto é um problema criado pelos Estados Unidos. Eles não querem falar com o Ministério das Relações Exteriores (turco). Agora dizem que foi o embaixador (dos EUA) em Ancara quem tomou a decisão (de suspender a emissão de vistos). Se foi assim, não temos nada para falar com os oficiais dos EUA", acrescentou Erdogan.

Bass confirmou hoje no Twitter que o motivo pelo qual a embaixada americana decidiu suspender no último domingo a emissão de vistos foi a prisão de um funcionário turco do consulado dos EUA em Istambul.

"Mesmo com nossos melhores esforços para conhecer as razões desta detenção, não pudemos determinar porque ela ocorreu e que provas existem contra este funcionário", declarou o embaixador.

Erdogan falou em Belgrado sobre uma suposta infiltração de supostos "agentes" do clérigo Fethullah Gülen, a quem o governo turco aponta como mentor da tentativa fracassada de golpe militar em julho de 2016.

"Como estes agentes (de Fethullah Gülen) se infiltraram no consulado de Istambul? Quem os colocou ali? Nenhum Estado permitiria estes agentes ou uma ameaça semelhante. A República da Turquia também declarou ontem que não é um Estado tribal. Não podemos tolerar isto", opinou Erdogan.

O premiê turco, Binali Yildirim, pediu hoje "bom senso" aos Estados Unidos e que recuem em sua decisão, à qual Ancara respondeu quase imediatamente com uma medida idêntica.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos