ONU diz que 11 mil rohingyas fugiram em apenas 1 dia para Bangladesh

Genebra, 10 out (EFE).- Aproximadamente, 11 mil rohingyas fugiram de Mianmar ontem e chegaram a Bangladesh, evidenciando um aumento na onda de refugiados que desde o fim de agosto tentam escapar da ofensiva militar, informou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (Acnur) nesta terça-feira.

De acordo com o organismo, milhares de refugiados cruzaram a fronteira terrestre e no mesmo dia uma embarcação repleta de refugiados rohingyas naufragou causando a morte de pelo menos 24 pessoas, além das dezenas de desaparecidos.

"Estamos trabalhando com as autoridades de Bangladesh para preparar um centro de passagem para o potencial êxodo dos próximos dias", indicou o porta-voz do organismo, Adrian Edwards.

Mais de 500 mil rohingyas, uma minoria étnica de Mianmar e de confissão muçulmana do estado de Rakhine, abandonaram as suas casas desde o começo da campanha do Exército contra eles.

"Voltamos à situação de alerta máximo no que se refere à chegada de refugiados. Com 11 mil chegadas em um dia, estamos voltando a níveis altos e devemos estar preparados para um êxodo ainda maior. Isto pode piorar. Não sabemos o motivo. Não vimos o que aconteceu para dizer o que está ocorrendo", disse Adrian Edwards aos jornalistas, sem excluir a hipótese de que se trate de rohingyas que iniciaram a travessia há dois ou até semanas, em plena operação militar, mas que fizeram a rota a pé.

Entre os preparativos elaborados está a expansão do principal acampamento de deslocados para rohingyas em Bangladesh. A ONU também planeja o envio de uma missão de alto nível a Mianmar para conversar com o governo sobre esta situação.

As organizações internacionais não estão autorizadas pelo governo a enviar equipes para dentro do país, apesar dos pedidos feitos, segundo o porta-voz. Informações que não puderam ser verificadas indicam que a ajuda que tenta chegar aos rohingyas que ficaram em Rakhine está sendo bloqueada.

"A população está se sentindo pressionada e há informações de que o acesso à comida está sendo impedido, o que aumentaria as razões para o deslocamento", esclareceu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos