Número global de vítimas civis em ataques aéreos cai no Afeganistão

Kabul, 12 out (EFE).- O número global de vítimas civis em ataques aéreos no Afeganistão caiu 6%, a primeira vez que acontece um retrocesso desde 2012, informou nesta quinta-feira a missão da ONU no país (Unama).

Apesar disso, o número de mortos ou feridos neste ano aumentou 52% em relação ao mesmo período de 2016.

Os ataques aéreos causaram 205 mortos e 261 feridos, 68% deles mulheres e crianças, detalhou a ONU em um relatório divulgado hoje.

O total de vítimas civis foi de 2.640 mortos e 5.379 feridos, uma baixa que foi "bem recebida" pela ONU, que lembrou que, no entanto, continuam sendo "níveis altos".

"Cerca de 6% de redução total nas vítimas civis provém principalmente de uma baixa substancial no número de civis mortos e feridos por tropas pró-Governo em batalhas terrestres com elementos antigovernamentais", explicou a Unama.

A queda do número de vítimas neste tipo de confronto foi de 15%, detalhou a ONU.

As tropas do Governo e seus aliados foram causadores de 228 mortos e 621 feridos civis, 37% menos que no ano passado, enquanto que os insurgentes causaram 7% mais, 255 mortos e 895 feridos.

No total, o número de mortos causados por insurgentes foi de 1.760, enquanto os feridos foram 3.407, sendo 66% dos casos atribuídos aos talibãs, 10% ao jihadista Estado Islâmico e o restante a "elementos antigovernamentais sem identificação".

Desde que a Unama começou a contabilizar as vítimas civis no conflito afegão em 2009, seu número tinha sempre aumentado até 2012, quando caiu, e desde então o aumento tem se mantido até este ano. EFE

bks-mt/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos