Independentistas radicais pedem que Puigdemont proclame a República catalã

Barcelona (Espanha), 13 out (EFE).- Os independentistas radicais da Catalunha (CUP), que apoiam o Governo dessa região, pediram ao presidente catalão, Carles Puigdemont, que proclame a República, ao considerar que o requerimento do Governo espanhol representa "uma ameaça" e não há reflexos de que uma mediação internacional prospere.

Na quinta-feira passada o Governo central exigiu de Puigdemont que confirme se no dia anterior tinha declarado a independência na Catalunha durante uma confusa mensagem no Parlamento.

Esse seria o passo prévio para adotar medidas que poderiam acontecer para que o Governo central assuma parte das competências do autogoverno da Catalunha; e para isso Rajoy deu a Puigdemont um prazo que vence no dia 16 às 10h horas (5h em Brasília) para responder.

"Se pretendem continuar aplicando, agora já com requisitos formais, as previsões do artigo 155 da Constituição espanhola (que contempla medidas para obrigar um presidente regional a cumprir as leis) e querem continuar nos ameaçando e amordaçando, que o façam com a República já proclamada", afirmou a CUP em uma carta dirigida ao presidente catalão e divulgada hoje.

Este grupo antissistema, com nove deputados, apoia a coalizão governamental JxS (formada por independentistas de centro e republicanos de esquerda) no processo para a independência que começaram após as eleições regionais de 2015.

A CUP, que dá por encerrada "a esperança na mediação internacional", assegurou: "Ficarmos imóveis diante das suas ameaças (do Governo espanhol), das suas negações e da sua autoridade não nos permitirá existir como povo".

"No dia 10 de outubro perdemos uma oportunidade", disse a CUP, quando o presidente catalão indicou no Parlamento regional que assumia o "mandato do povo" para que "a Catalunha se transforme em um estado independente em forma de república" e, em seguida, propôs a "suspensão dos efeitos da declaração de independência" para abrir a porta para o diálogo.

Assim como a CUP, a organização Assembleia Nacional Catalã (ANC), uma das mais importantes na mobilização cidadã a favor da independência, se dispôs ontem à noite pedir ao Parlamento catalão que "retire" a suspensão da declaração de independência perante "a negativa do Estado espanhol a qualquer proposta de diálogo".

Por enquanto não há reação oficial de Puigdemont ao requerimento do Governo espanhol.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos