Emboscada de rebeldes ruandeses deixa 26 mortos na RD do Congo

Kinshasa, 16 out (EFE).- Uma emboscada de rebeldes ruandeses das Forças Democráticas para a Libertação de Ruanda (FDLR) contra um comboio de civis em uma estrada no nordeste da República Democrática (RD) do Congo deixou 26 mortos, confirmaram nesta segunda-feira à Agência Efe as autoridades locais.

Soldados da RD do Congo descobriram os 26 corpos, vários deles decapitados, próximos da estrada que liga as localidades de Kamango e Mbau, na província de Kivu Norte, a poucos quilômetros da fronteira com Uganda.

O governador regional, Claude Nyamurabu, assegurou que os mortos são civis que cruzaram o caminho de um grupo de rebeldes ruandeses que fugiam das forças armadas das RD do Congo.

O porta-voz do exército da RD do Congo, o general Jean-Richard Kassonga, confirmou que o massacre é obra das FDLR e lembrou que a determinação das forças armadas "é levar ao fim a aventura" dos rebeldes ruandeses, a quem exigiu que deixassem o país.

As FDLR, integradas por membros foragidos na RD do Congo do antigo exército ruandês e da milícia hutu ruandesa "Interahamwe" (responsáveis pelo genocídio em Ruanda em 1994), semeiam o terror entre a população civil com constantes assassinatos em uma região rica em minério e outros recursos naturais.

No início de 2015, as FDLR se comprometeram a se render depois que anunciaram sua intenção de interromper a luta que mantinham em território da República Democrática do Congo há mais de 20 anos.

O nordeste da RD do Congo está afundado em um longo conflito entre numerosos grupos rebeldes, com massacres constantes, apesar da presença do exército nacional e de forças da Missão das Nações Unidas (MONUSCO).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos