Júri popular declara culpado homem que plantou bombas em 2016 em Nova York

Nova York, 16 out (EFE).- Acusado de colocar várias bombas em setembro do ano passado em Nova York, uma das quais explodiu deixando cerca de 30 feridos, Ahmad Khan Rahami foi considerado culpado por um júri popular nesta segunda-feira de todas as denúncias feitas contra ele.

"Inspirado no Estado Islâmico e na Al Qaeda, Rahimi instalou e detonou uma bomba nas ruas de Chelsea, no coração de Manhattan, e em Nova Jersey, esperando matar e mutilar o máximo de inocentes possíveis", disse em comunicado o promotor interino do Distrito Sul de Nova York, Joon H. Kim.

O veredito final dos júri popular foi unânime, em um julgamento que durou duas semanas. Rahami foi condenado a prisão perpétua.

Americano de origem afegã, ele era acusado de colocar duas bombas no bairro de Chelsea em 17 de setembro do ano passado. Uma delas explodiu e deixou 30 feridos. A outra não foi acionada.

No mesmo dia, ele deixou uma bomba caseira em Seaside Park, em Nova Jersey, que não provocou danos ou feridos. Em 18 de dezembro, Rahimi instalou outros cinco artefatos em uma estação de trem de Elizabeth, no mesmo estado. Um deles explodiu quando um robô da Polícia de Nova Jersey tentava desarmá-lo.

As ações de Rahimi, de 29 anos, ocorreram quando Nova York estava prestes a receber de mais de cem de governantes para um cúpula da ONU sobre refugiados e debates de alto nível da Assembleia-Geral.

"Os crimes de ódio de Rahimi foram abordados com rapidez e justiça absoluta. Um ano após esse ataque, e após um julgamento aberto e justo, agora ele foi condenado", completou o promotor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos