Presidente de Portugal reafirma "urgência de agir" contra incêndios

Lisboa, 16 out (EFE).- O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, reafirmou nesta segunda-feira a "urgência de agir" para estabilizar a nova onda de incêndios no centro e no norte do país, que deixou pelo menos 31 mortos e 51 feridos.

Rebelo de Sousa, que cancelou os atos previstos em sua agenda desta semana para conduzir a situação, se remeteu à mensagem que lançou no sábado, às vésperas da tragédia, em que fazia um apelo por "uma mudança de ponto de vista", que consiste "em atos, e não palavras".

Em uma declaração divulgada pela Presidência da República, o chefe de Estado expressa seu desejo de uma rápida estabilização dos incêndios que continuam ativos e anuncia que posteriormente se dirigirá ao país e visitará as zonas mais afetadas.

À espera de uma nova atualização oficial do balanço de vítimas, os mais de 500 incêndios declarados no domingo causaram 31 mortos, segundo os dados ainda não definitivos informados pela Autoridade Nacional de Proteção Civil.

Esta nova onda de incêndios chega apenas quatro meses depois da tragédia que afetou a região de Pedrógão Grande, no centro do país, onde o fogo causou a morte de 64 pessoas e mais de 250 ficaram feridas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos