Grupo de 12 países das Américas pede auditoria das eleições na Venezuela

Cidade da Guatemala, 17 out (EFE).- O Grupo de Lima, composto por 12 países das Américas, pediu nesta terça-feira uma "auditoria independente" das eleições para governadores realizada no último domingo na Venezuela com o fim de esclarecer "a controvérsia gerada sobre os resultados".

Em um comunicado divulgado pelo Ministério das Relações Exteriores da Guatemala, além do país centro-americano, os governos de Brasil, Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru consideram "urgente" a realização da auditoria, com o acompanhamento de "observadores internacionais especializados e reconhecidos".

O governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) ganhou as eleições em 17 dos 23 estados do país, segundo o balanço oficial divulgaido pelo Conselho Nacional Eleitoral, e a aliança opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD), que conseguiu cinco triunfos, não reconhece os resultados.

O Grupo de Lima, que realizará sua terceira reunião no próximo dia 26 no Canadá para debater a situação política na Venezuela, pede a auditoria diante dos "diversos obstáculos, atos de intimidação, manipulação e irregularidades que caracterizaram as eleições" do último domingo e que "põem em interdição os resultados da eleição".

O objetivo, segundo a nota, é "esclarecer a controvérsia gerada sobre os resultados destas eleições e conhecer o verdadeiro pronunciamento do povo venezuelano".

A oposição venezuelana exigiu ontem que todo o processo eleitoral seja auditado como condição essencial para retomar o processo de diálogo politico com o governo de Nicolás Maduro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos