HRW denuncia a queima de aproximadamente 300 aldeias rohingyas em Mianmar

Bangcoc, 17 out (EFE).- A Human Rights Watch (HRW) denunciou, nesta terça-feira, a queima de aproximadamente 300 aldeias da minoria muçulmana rohingya no noroeste de Mianmar na última ofensiva do Exército iniciado após o ataque insurgente de no mês de agosto.

A ONG utilizou imagens de satélite para identificar 288 aldeias total ou parcialmente queimadas no norte do estado de Rakhine, com dezenas de milhares de estruturas afetadas, a maioria moradias habitadas pelos rohingyas.

Em um comunicado, a HRW assegurou que 90% das aldeias afetadas se concentraram no município de Maungdaw e que os incêndios queimaram moradias rohingyas enquanto deixaram intactas zonas adjacentes habitadas por budistas rakhine.

Ele também observou que pelo menos 66 aldeias foram queimadas após o dia 5 de setembro, quando o governo de Mianmar deu por concluída a "operação de limpeza" iniciada após o ataque do grupo rebelde rohingya, no dia 25 de agosto, e que, segundo a ONU, obrigou a fuga de 530 mil rohingyas para Bangladesh.

"As últimas imagens de satélite mostram o motivo que meio milhão de rohingyas fugiram para Bangladesh em apenas quatro semanas", disse o subdiretor da HRW na Ásia, Phil Robertson.

"O Exército de Mianmar destruiu centenas de aldeias rohingyas ao mesmo tempo que cometeu assassinatos, estupros e outros crimes contra a humanidade que forçaram aos rohingyas a fugirem para salvar suas vidas", acrescentou.

O Governo de Mianmar assegurou que a violência esteve originada por "terroristas rohingyas", mesmo com o Alto Comissionado dos Direitos Humanos da ONU chamando a operação militar de uma "limpeza étnica de manual".

Antes da campanha militar, estimava-se que aproximadamente 500 mil rohingyas moravam em Rakhine, onde sofrem uma crescente discriminação desde o início da violência sectária, em 2012, que causou pelo menos 160 mortes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos