Hamas vê condições dos EUA como "ingerência descarada"

Cidade de Gaza, 19 out (EFE).- O Hamas qualificou nesta quinta-feira de "ingerência descarada nos assuntos palestinos" os requisitos impostos pelos Estados Unidos ao seu grupo, caso faça parte de um futuro governo palestino, após seu pacto de reconciliação com o nacionalista Al Fatah.

"A nossa gente tem direito de escolher seu governo de acordo com os mais altos interesses estratégicos do nosso povo e de nossa causa", disse hoje à Agência Efe Basim Naeem, destacado líder do movimento islamita.

O Hamas rejeitou assim os pedidos do enviado especial dos EUA para o Oriente Médio, Jason Greenblatt, que requisitou ao grupo islamita o reconhecimento de Israel, um compromisso "inequívoco e sem ambiguidade com a não violência e o desarmamento", antes de entrar em um futuro governo de unidade.

Em um comunicado, o enviado do presidente dos EUA, Donald Trump, destacou que "se o Hamas vai desempenhar algum papel em um governo palestino, deve aceitar estes requisitos básicos".

Israel também exigiu do Hamas que abandone as armas, reconheça seu país, devolva os corpos de dois soldados e de dois civis israelenses que entraram na Faixa e outras demandas para poder reiniciar as negociações de paz com os palestinos, que Washington tenta impulsionar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos