Democracia resolverá "inaceitável" tentativa de secessão, diz rei da Espanha

Oviedo (Espanha), 20 out (EFE). - O rei Felipe VI da Espanha se disse convicto nesta sexta-feira de que as "legítimas" instituições democráticas do país resolverão, respeitando a Constituição, o que chamou de "inaceitável tentativa de secessão" das autoridades da região da Catalunha.

Felipe VI fez a declaração durante a entrega dos Prêmios Princesa de Astúrias, realizada na cidade de Oviedo.

Segundo ele, a tentativa separatista que a Espanha encara atualmente será solucionada "atendo-se aos valores e princípios da democracia parlamentar" vigentes no país "há 39 anos", em alusão à aprovação da Constituição de 1978.

No dia 1º de outubro foi realizado o referendo de independência na Catalunha no qual - segundo as autoridades regionais - 2 milhões de pessoas votaram a favor da independência, em uma população de 7,5 milhões.

No discurso, o rei destacou o "desejo sincero de convivência e entendimento" dos espanhóis e o respeito às normas e regras da democracia para afirmar que todos os cidadãos querem "encontrar o seu lugar em paz e liberdade, sem temores nem medos da imposição nem da arbitrariedade, afastados do rancor e das fraturas".

Felipe VI também enfatizou que os povos que integram a Espanha veem protegidas e respeitadas as suas línguas, culturas e instituições como um patrimônio comum "que nos enriquece e identifica".

"A Espanha do século XXI, da qual a Catalunha é e será uma parte essencial, deve basear-se em uma soma leal e solidária de esforços, sentimentos, afetos e projetos", afirmou o rei antes de acrescentar que essa soma "alimenta o legítimo orgulho de pertencer à grande realidade democrática que é a Europa".

No auditório estavam os presidentes do Parlamento Europeu, Antonio Tajani; do Conselho Europeu, Donald Tusk, e o da Comissão Europeia, Jean Claude Juncker. Este ano, a União Europeia foi a vencedora do Prêmio Princesa das Astúrias da Concórdia.

Felipe VI agradeceu a presença das autoridades, o que simboliza "o compromisso, apoio e a solidariedade das instituições europeias com a Espanha, os seus sistemas constitucionais e o seu Estado de Direito".

Durante a crise entre o governo espanhol e os representantes catalãs, os líderes europeus expressaram a todo momento o apoio à posição do gabinete de Mariano Rajoy e à legalidade constitucional.

Segundo o rei espanhol, os ideais europeus precisam estar sempre presentes porque nenhum projeto de futuro pode ser construído se baseando na quebra da convivência democrática

"Nenhum projeto de progresso e de liberdade se sustenta no descontentamento nem na divisão - sempre dolorosa e dilaceradora - da sociedade, das famílias e dos amigos e nenhum projeto pode conduzir ao isolamento ou ao empobrecimento de um povo", defendeu.

Nesta linha, o monarca ressaltou que os líderes comunitários podem contar com a Espanha como pilar essencial de apoio e lealdade e acrescentou que o caminho será percorrido "acompanhado da razão, da palavra e do respeito as regras de convivência".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos