Jihadista detido na Grécia tinha imagens de torturas no seu telefone

Atenas, 20 out (EFE).- O jihadista confesso detido pela polícia na cidade grega de Alexandrópolis, no norte do país, tinha no seu telefone vídeos e fotografias de torturas e execuções efetuadas pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI), entre outras cenas de violência extrema, informou nesta sexta-feira a imprensa local.

O homem, um sírio de 32 anos que chegou à Grécia com sua família em 2016 através da ilha de Leros, viveu em um acampamento de refugiados em Salónica, junto com sua esposa e seu filho, e em um apartamento de Atenas, onde foram encontrados materiais que, segundo as autoridades, provariam sua vinculação terrorista.

Desde a sua chegada, a polícia tinha suspeitas da sua vinculação com o terrorismo islâmico, razão pela qual foi posto sob vigilância.

Em setembro sua esposa apresentou uma denúncia de maus-tratos contra ela e seus filhos, e dias depois ela mesma confirmou à polícia que o homem teria participado de atividades do EI, fazendo com que as autoridades emitissem uma ordem de detenção.

Na quinta-feira apareceu em Alexandrópolis para uma entrevista relacionada com sua solicitação de asilo, após o que foi detido.

Quando foi informado que seria acusado de participar em atos terroristas, tentou suicidar-se na sua cela e foi transferido ao hospital da cidade, onde os médicos certificaram que não tinha sofrido qualquer lesão grave.

Após isso, o homem assinou uma confissão na qual assegurava ter participado em atividades do Estado Islâmico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos