Poderoso tufão castiga ilha principal do Japão em dia de eleições gerais

Jerusalém, 22 out (EFE).- A velha cidadela de Jerusalém amanheceu neste domingo com uma série de pichações antissemitas, incluindo até uma suástica, em um caso que está sendo investigado pela polícia.

(Atualiza com mais detalhes do tufão e dados sobre cancelamentos de voos e trens).

Tóquio, 22 out (EFE).- O poderoso tufão Lan já castiga a ilha principal do Japão neste domingo, dia de eleições gerais no país, com fortes chuvas que geraram uma série de interrupções nos serviços de transportes, como cancelamentos de voos e viagens de trem.

Classificado como "extremamente grande e forte" pela Agência Meteorológica do Japão (JMA), o Lan deve chegar durante a madrugada na ilha de Honshu, onde está Tóquio, capital do país.

As chuvas provocadas pelo tufão já geraram um acúmulo de água que vai de 300 a 500 milímetros em parte do centro e do leste do Japão. No sul, o Lan chegou com rajadas de ventos de até 252 km/h.

A JMA declarou alerta meteorológico em praticamente todo o país pelo risco de inundações, transbordamento de rios e deslizamentos de terra. Estão fora de risco apenas Tohoku e Hokkaido.

O Japão realiza hoje eleições gerais para renovar a Câmara Baixa do Parlamento e se teme que estas condições climatológicas adversas possam ter um impacto negativo na participação, que nas eleições de 2014 já caiu para o mínimo histórico de 52,6%.

Um colégio eleitoral da cidade de Kochi, na ilha de Shikoku (sudoeste), teve que atrasar 20 minutos sua abertura porque os deslizamentos de terra impediram a chegada dos mesários.

Algumas pequenas ilhas do sudoeste do país fizeram no sábado as votações em vez de hoje para que as cédulas pudessem ser enviadas por barco, mas as fortes ondas impediram que fossem transportadas ao centro de recontagem, informou a emissora pública "NHK".

O tufão provocou o cancelamento de 421 voos doméstico hoje e outros 117 amanhã. Além disso, vários serviços de transporte para Tóquio foram suspensos até amanhã, segundo a "NHK".

As autoridades regionais também recomendaram a evacuação de milhares de pessoas em mais de dez prefeituras do centro, do leste e do sul do país, devido, especialmente, ao risco de os rios que cortam essas regiões transbordarem.

A JMA fez ontem uma inusual recomendação para que os cidadãos votem antecipadamente por causa do perigo da ocorrência de "fortes ventos, chuvas e ondas" no país no domingo, o que pode gerar deslizamentos de terras e inundações.

As autoridades temem que as condições climáticas adversas tenham um forte impacto na participação das eleições de amanha, como ocorreu em 1979, quando um tufão atingiu Tóquio.

Naquele pleito, também para eleger a câmara baixa do parlamento, a participação foi de 53%, dez pontos percentuais a menos do que na eleição anterior.

Nas eleições de hoje, às 16h locais (4h em Brasília), faltando quatro horas para o fechamento das urnas, a participação era de 26,3%, uma queda de 2,81 pontos percentuais em relação a 2014.

No entanto, a participação antecipada registrada até sexta-feira cresceu em 62,5% se comparada ao último pleito.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos