Oposição curda pede dissolução de governo regional devido à crise com Bagdá

Erbil (Iraque), 23 out (EFE).- O partido opositor curdo Movimento da Mudança (Goran) pediu a dissolução do governo da região autônoma do Curdistão e a formação um Executivo de "salvação nacional", perante a crise suscitada com Bagdá após a realização do referendo de independência curda em setembro.

O dirigente do Goran Birzo Mayid disse à Agência Efe que o partido tenta solucionar "a má situação atual" no Curdistão iraquiano, após Bagdá recuperar à força as zonas disputadas entre os governos autônomo e central nas províncias de Kirkuk, Ninawa e Diyala.

Na semana passada, o exército iraquiano desdobrou suas tropas nas regiões destas três províncias que controlavam as forças de segurança curda "peshmergas", em represália à votação realizada em 25 de setembro, rejeitada pelo governo central.

Mayid acrescentou em seu partido, a primeira força opositora no Parlamento curdo, "está se esforçando para proteger o povo curdo dos possíveis danos que esta crise pode causar".

Em um comunicado emitido ontem na cidade curda de Suleimaniya, o Goran pediu a dissolução do governo curdo e a formação de um Executivo de "salvação nacional", que dê início a um diálogo com o governo federal de Bagdá, de acordo com a Constituição e garantindo os direitos nacionais do povo curdo.

"O presidente da região e o vice-presidente não têm legitimidade, mas se negam a renunciar", afirma a nota o partido, que também pede "a anulação da lei da presidência da região e sua instituição" para criar um sistema parlamentar.

Para os líderes do Goran, o Conselho Político Supremo do Curdistão "não tem nenhuma legitimidade" e "tenta se impor como alternativa às instituições legais da região".

No mesmo contexto, foi pedida ao governo federal a suspensão da agressão contra as cidades e comarcas do Curdistão, bem como a formação de um comitê de investigação para compensar os afetados nas zonas de Tuzjormato, Janaquin, Sinjar, Shihan, Zumar e Majumur, entre outras regiões.

O referendo realizado pelo governo curdo teve uma participação de 72% e 92% dos votos a favor da independência do Curdistão, mas o governo iraquiano o rejeitou e a justiça o declarou nulo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos