PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Comissão Eleitoral do Quênia adia eleições para sábado em zonas conflituosas

26/10/2017 12h42

Nairóbi, 26 out (EFE).- A Comissão Eleitoral do Quênia decidiu adiar as eleições presidenciais para o próximo sábado em algumas zonas onde nesta quinta-feira não foi possível abrir os colégios eleitorais devido aos protestos dos seguidores da oposição.

As quatro zonas afetadas são os condados ocidentais de Kisumu, Homa Bay, Siaya e Migori, tradicionais nichos da oposição, onde os manifestantes levantaram barricadas para impedir a chegada dos materiais de votação aos colégios eleitorais.

Em Kisumu, a maioria dos funcionários da Comissão nem sequer pôde chegar ao armazém onde estavam guardadas as urnas e cédulas para levá-las aos centros de votação.

Em Homa Bay a situação foi similar: os funcionários da instituição não se apresentaram nos colégios devido às ameaças recebidas.

O diretor da Comissão Eleitoral, Walufa Chebukati, lamentou a situação e lembrou as garantias de segurança oferecidas pelo diretor-geral da Polícia, Joseph Boinnet, que foram decisivas para manter as eleições como estava planejado.

Perguntado sobre a baixa participação registrada no pleito, Chebukati não quis revelar os dados, embora tenha prometido divulgá-los posteriormente.

A principal coalizão opositora, a Super Aliança Nacional (Nasa, a sigla em inglês), pediu boicote à repetição das presidenciais programada para hoje, ao considerar que a Comissão não é capaz de evitar as irregularidades que provocaram a anulação dos resultados na votação de 8 de agosto.

Apesar disso, o líder da Nasa, Raila Odinga, pediu aos seus seguidores que ficassem em casa e não se manifestassem hoje.

Internacional