Topo

Evo Morales suspende visita ao Brasil por causa de estado de saúde de Temer

Reprodução/Twitter @evoespueblo
O presidente da Bolívia, Evo Morales, publicou no Twitter foto ao lado de Lula (28.out.2017) Imagem: Reprodução/Twitter @evoespueblo

Da EFE, em La Paz

28/10/2017 17h59

O presidente da Bolívia, Evo Morales, não realizará a visita oficial ao Brasil que estava prevista para esta segunda-feira porque Michel Temer está hospitalizado, pois passou por um procedimento cirúrgico na próstata e deve manter repouso, informou neste sábado o chanceler boliviano, Fernando Huanacuni.

O ministro boliviano disse aos veículos de imprensa que recebeu hoje de manhã uma nota oficial da embaixada do Brasil e também um telefonema do Itamaraty explicando que Temer deve manter repouso por problemas de saúde.

"O presidente Temer teve um tratamento especial de saúde e, por recomendações dos médicos, não pode realizar atividades, tem que se manter em repouso absoluto. Portanto, nesta segunda-feira, ele não estará em condições de saúde", disse Huanacuni.

O ministro boliviano afirmou que, na próxima quarta-feira, será decidida uma nova data para que Morales realize sua visita ao Brasil.

No encontro, os líderes conversariam sobre o projeto da ferrovia bioceânica que, segundo Huanacuni, é "fundamental" para passar do aspecto político para a fase técnica.

O "Corredor Ferroviário Bioceânico Central" é um plano impulsionado pelo governo de Morales para ligar o porto de Santos, em São Paulo, com o terminal de Ilo, no Peru, passando por território boliviano, uma obra avaliada em cerca de US$ 14 bilhões.

Além de Bolívia, Brasil e Peru, Argentina, Paraguai e Uruguai também se beneficiariam deste projeto através da construção de um ramal da ferrovia entre o território boliviano e uma zona portuária em solo paraguaio, vinculada à hidrovia Paraguai-Paraná.

A delegação boliviana também pretendia firmar acordos para a venda de ureia e gás natural ao Brasil.