Funeral do rei Bhumibol da Tailândia termina com cerimônia religiosa

Bangcoc, 29 out (EFE).- O funeral do rei Bhumibol da Tailândia, falecido há um ano, terminou neste domingo com uma cerimônia religiosa no Palácio Real de Bangcoc que foi conduzida pelo seu filho e herdeiro, o rei Vajiralongkorn.

As cinzas do monarca, que foi incinerado na quinta-feira, serão agora levadas em procissão solene aos templos de Bowonniwt Vihara e Ratchabophit Sahit Maha Simaram, próximos ao complexo palaciano, no centro da cidade.

Ali serão depositadas em uma urna dourada que permanecerá em uma sala especial do Palácio Real que abriga também restos de boa parte dos monarcas da dinastia Chakri, à qual pertencia o soberano falecido.

As homenagens fúnebres, que duraram cinco dias e foram realizadas de acordo com a tradição budista, foram acompanhadas por centenas de milhares de súditos, alguns deles chegados de pontos muito distantes da capital tailandesa.

As cerimônias tiveram seu momento mais importante na quinta-feira, com a apresentação de condolências à família real local por parte de representantes de 42 países, incluindo os de 24 monarquias.

Entre os presentes estavam a rainha Sofia da Espanha, a rainha Máxima da Holanda, a rainha Silvia da Suécia e o príncipe Andrew da Inglaterra, assim como membros de várias monarquias asiáticas, como os príncipes de Japão e os reis do Butão.

O rei Bhumibol morreu em 13 de outubro de 2016, aos 88 anos, em um hospital de Bangcoc onde tinha estado internado de maneira quase ininterrupta durante mais de um ano, após sete décadas de reinado, o que tinha lhe transformado no decano dos chefes de Estado do mundo. EFE

amg/rsd

(foto) (vídeo)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos