Russos lembram vítimas de expurgos stalinistas em frente à sede da KGB

Moscou, 29 out (EFE).- Milhares de russos participam neste domingo na praça Lubianka de Moscou, onde ficava a sede da KGB, de um ato em homenagem às vítimas dos expurgos ordenados por Josef Stalin.

"Estas pessoas eram fuziladas em segredo, mas nós vamos tornar pública sua memória", disse Elena Zhemkova, presidente da Memorial, organização dedicada à reabilitação das vítimas de repressão da era soviética.

O evento anual, que este ano completa sua décima edição, aconteceu na Praça Lubianka junto ao monumento erguido em lembrança das vítimas dos expurgos.

Por sua parte, a titular da Defensoria Pública da Rússia, Tatiana Moskalkova, destacou que em 2017 "se completam 80 anos dos expurgos" na União Soviética, em alusão a uma campanha de terror sem precedentes conhecida como "Grande Terror", que se iniciou em 1937 e se prolongou por dois anos.

Durante o Grande Terror, apenas na capital russa, segundo a Memorial, foram fuziladas mais de 30.000 pessoas, número que sobe para 725.000 em toda a União Soviética.

Amanhã, por ocasião do Dia da Memória das Vítimas das Repressões Políticas, o presidente russo, Vladimir Putin, inaugurará em Moscou um "Muro das Lamentações", outro monumento às vítimas dos expurgos políticos na era soviética.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos