Último teste nuclear norte-coreano pode ter matado 200 pessoas

Tóquio, 31 out (EFE).- Cerca 200 pessoas podem ter morrido pelo desmoronamento de um túnel dias depois do último teste nuclear realizado pela Coreia do Norte, no dia 3 de setembro, segundo informou a emissora japonesa "TV Asahi" nesta terça-feira.

O teste nuclear, o mais potente já feito pelo regime norte-coreano, foi feito de maneira subterrânea no nordeste do país e causou o colapso de um túnel que tirou a vida de cem trabalhadores.

Fontes da Coreia do Norte citadas pelo canal japonês asseguram que outras cem pessoas morreram quando tentaram resgatar os afetados e um segundo tremor causado pela detonação provocou um novo desabamento.

Desde esse último teste na base de Punggye-ri, no nordeste da Coreia do Norte, foram registrados vários terremotos no local do experimento nuclear.

Pyongyang realizou no início de setembro o seu sexto e mais potente teste nuclear até o momento, na qual garantiu ter detonado uma bomba H (de hidrogênio, uma arma termonuclear mais potente que as bombas convencionais) que pode ser instalada em mísseis intercontinentais.

Esse foi o quarto teste nuclear norte-coreano realizado sob o mandato de Kim Jong-un, que intensificou os testes armamentistas do regime.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos