Ex-ministro argentino é indiciado em caso de fraude de construtora sueca

Buenos Aires, 1 nov (EFE).- O ex-ministro de Planejamento Federal da Argentina, Julio de Vido, detido há uma semana por seu suposto envolvimento em casos de corrupção, foi indiciado nesta quarta-feira por um caso de fraude em obras de gasodutos da construtora sueca Skanska, informaram fontes judiciais.

A decisão foi tomada pelo juiz federal Santiago Casanello, que também determinou o indiciamento, entre outros, do ex-secretário de Obras Públicas, José López, detido por outra causa desde junho de 2016.

De Vido, ministro durante os governos de Néstor Kirchner (2003-2007) e Cristina Kirchner (2007-2015), foi detido no último dia 25 de outubro após apresentar-se voluntariamente perante os tribunais de Buenos Aires minutos depois de o parlamento argentino lhe tirar seus privilégios como deputado federal.

A perda de imunidade tinha sido solicitada pelo juiz Luis Rodríguez, que investiga uma suposta fraude multimilionária em um projeto minerador em Río Turbio, na província de Santa Cruz, que nunca aconteceu, e pelo juiz Claudio Bonadio, que tramita uma causa pelo suposto pagamento de preços supervalorizados na compra de gás liquefeito.

Na denominada "causa Skanska", De Vido e López foram indiciados por suposta administração fraudulenta e suborno.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos