Irã condena atentado em Nova York, mas acusa EUA de apoiarem terroristas

Teerã, 1 nov (EFE).- O governo do Irã condenou nesta quarta-feira o atentado de ontem em Nova York, no qual um homem atropelou uma multidão com um veículo e deixou oito mortos, mas, ao mesmo tempo, acusou os Estados Unidos de serem responsáveis pela criação de grupos terroristas.

Em um comunicado, o porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do Irã, Bahram Qasemi, ofereceu suas condolências aos familiares das vítimas e afirmou que "matar cidadãos inocentes e indefesos nas ruas e em lugares públicos evidencia a brutalidade dos grupos terroristas".

Na mesma nota, no entanto, Qasemi denunciou que os EUA e seus aliados criaram grupos extremistas como o Estado Islâmico (EI) e a Al Qaeda "para conseguir seus objetivos e interesses com a desestabilização de outros países".

"A origem do fenômeno sinistro, desumano e cruel do terrorismo é a política e o enfoque que os EUA e seus aliados tiveram em alguns períodos na região do Oriente Médio para criar e apoiar esses grupos", acrescentou Qasemi.

Além disso, o porta-voz iraniano disse que "a única forma de erradicar o terrorismo é através de um enfrentamento sério e da honestidade e da transparência de todos os países".

O ataque aconteceu no sudoeste da ilha de Manhattan, onde um homem - identificado como um imigrante do Uzbequistão de 29 anos - atropelou com o seu veículo várias pessoas que estavam no local.

O Departamento de Segurança Nacional dos EUA qualificou o ataque, que resultou em oito mortes e deixou dezenas de feridos, de "aparente ato de terrorismo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos