Jovem garante que foi abusada sexualmente por presidente da Nicarágua

Miami, 1 nov (EFE).- "Sou vítima de Daniel Ortega", disse nesta quarta-feira a jovem Elvia Junieth Flores Castillo, que, conforme denunciaram seus irmãos em Miami, foi abusada sexualmente pelo presidente da Nicarágua desde que tinha 15 anos.

Durante uma entrevista coletiva de quatro dos seus oito irmãos em Miami para denunciar este caso, Elvia Junieth, de 28 anos, disse por telefone que a "injustiça" fez com que ela rompesse o silêncio.

"Vivo a mesma situação que meu irmão. Ele está detido em uma prisão e eu numa casa", ressaltou a jovem, que disse não ter mais "relação" com Ortega e que é mãe de uma menina de 5 anos e de um bebê de 11 meses.

A chamada telefônica de Elvia Junieth aconteceu pouco depois de sua irmã Martha afirmar na entrevista coletiva que ela estava "acordando" e tinha vontade de falar sobre o que tinha acontecido, mas que estava "aterrorizada".

Martha, Sujey, César e Byron Flores Castillo, que vivem em Miami, se apresentaram em uma entrevista coletiva para informar a situação de Elvia Junieth e de Santos Sebastián Flores Castillo, o outro irmão que, segundo eles, foi preso "injustamente" por ter defendido Elvia Junieth.

Sujey Flores, que afirmou ser de uma família de ideologia sandinista, comentou que este caso é uma "mancha de tristeza" em sua família há mais de dez anos e é o motivo de quatro dos nove irmãos terem buscado "refúgio" nos Estados Unidos.

"Que tipo de presidente é este com essas aberrações?", se perguntou Sujey depois de assinalar que Ortega acusou Santos Sebastián de "um suposto crime" por ter denunciado na Nicarágua o que eles souberam pela própria Elvia Junieth.

Segundo Sujey Flores, ela e seu irmão Santos apresentaram uma denúncia verbal a organizações de direitos humanos quando souberam através de Elvia Junieth que "Ortega a tocava e manteve relações" com ela.

"Toda a família foi vítima de chantagens", contou Sujey. "Todos nós fomos vítimas de detenções arbitrárias, sequestros, ações de despejo e confisco de bens".

Os irmãos disseram que denunciaram, "até não poder mais", o que contaram hoje à imprensa em Miami, mas que não obtiveram resposta.

A maior preocupação da família é a situação de Santos, que, segundo os irmãos, "estão matando lentamente", com "um tratamento desumano" e sem direito a visitas, nem a banho de sol.

Segundo os familiares, Santos está sujeito a danos físicos e psicológicos e, recentemente, os carcereiros fraturaram sua mão esquerda.

Os irmãos Flores Castillo responsabilizaram Ortega e sua esposa, Rosario Murillo, de qualquer coisa que pode acontecer a seus irmãos que permanecem na Nicarágua e pediram "o fim do abuso de poder contra nossa família".

No início da entrevista coletiva, o líder do exílio cubano Ramón Saúl Sánchez ressaltou que este não é um caso "político", mas "humanitário", e pediu ao presidente Ortega que "liberte" Elvia Junieth e seu irmão preso.

A mãe dos irmãos Flores, que, segundo a família afirmou hoje, está "muito doente", fez as mesmas denúncias em 2015 em entrevista publicada no "Diario Las Americas" de Miami.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos