Trump insiste em mudar sistema de imigração após atentado em Nova York

(Atualiza com reação do senador Chuck Schumer).

Washington, 1 nov (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, insistiu nesta quarta-feira na necessidade de mudar o atual sistema de imigração do país por outro "baseado no mérito", após o atentado cometido ontem em Nova York por um imigrante do Uzbequistão.

Em uma série de tweets, Trump repercutiu uma notícia veiculada por vários meios de comunicação, entre eles a emissora "ABC", que afirma que o suspeito do atentado, Sayfullo Saipov, um uzbeque de 29 anos, chegou aos EUA há sete anos graças ao Programa Anual de Vistos de Diversidade, um sorteio aleatório de vistos para pessoas de nações com baixas taxas de imigração no país, popularmente conhecido como loteria de vistos.

Trump vinculou os democratas, precisamente o líder no Senado Chuck Schumer, com esse programa de loteria de vistos e lembrou que o sistema de imigração que ele quer será "baseado no mérito".

"Estamos lutando duro pela imigração baseada no mérito, não mais o sistema de loteria dos democratas. Devemos ser MUITO MAIS DUROS (e mais inteligentes)", enfatizou o presidente.

Em seguida, Trump citou uma declaração do ex-agente da CIA Tony Shaffer, que disse à emissora "Fox" que o senador Schumer "ajuda a importar os problemas da Europa", e prometeu "acabar com esta loucura".

Em resposta às críticas de Trump, Schumer defendeu em comunicado que sempre acreditou e seguirá acreditando que "a imigração é boa para os Estados Unidos", e acusou o presidente de tentar "politizar e dividir" o país quando ocorre uma "tragédia nacional".

Além disso, o líder democrata exigiu que Trump "rescinda imediatamente" os cortes ao financiamento do combate ao terrorismo que estão incluídos em sua proposta de orçamento federal.

O atentado aconteceu no sudoeste da ilha de Manhattan, quando Saipov atropelou com seu veículo várias pessoas que estavam no local, algumas delas numa ciclovia perto da margem do rio Hudson.

As autoridades nova-iorquinas qualificaram o atropelamento, que resultou em oito mortos e mais de dez feridos, de "covarde ato de terrorismo".

Saipov, que de acordo com os depoimentos de pessoas que estavam no local gritou "Alá é grande" em árabe, foi atingido por um ou vários disparos no abdômen ao sair do veículo e foi levado para um hospital.

Depois do atentado, Trump anunciou através do Twitter que ordenou "mais rigidez" aos vetos a cidadãos estrangeiros, sem oferecer nenhum detalhe.

O plano de princípios de Trump para uma futura reforma migratória, enviado ao Congresso no mês passado, busca um sistema baseado no mérito com limites às permissões de residência - os 'green cards' - para cônjuges e filhos mais novos daqueles que já vivem nos EUA, assim como criar um sistema de pontos para obter esses cartões.

Em agosto, Trump manifestou apoio a um projeto de lei dos senadores republicanos Tom Cotton e David Perdue que pretende reduzir pela metade a entrada de imigrantes legais nos EUA ao longo da próxima década, através da redução na concessão de permissões de residência.

Além disso, Trump tentou restringir a entrada aos EUA dos cidadãos de seis países com maioria muçulmana (Irã, Líbia, Síria, Iêmen, Somália e Chade), com um veto que permanece parcialmente bloqueado pela Justiça americana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos