Topo

Jornalistas do "Charlie Hebdo" voltam a ser ameaçados após capa polêmica

03/11/2017 15h53

(Corrige título).

Paris, 3 nov (EFE).- Os profissionais da revista satírica francesa "Charlie Hebdo", alvo de um atentado jihadista com 12 mortos, em janeiro de 2015, receberam novas ameaças de morte após o lançamento de uma polêmica capa dedicada ao filósofo Tariq Ramadan.

Ramadan é investigado pela Justiça da França depois que duas mulheres apresentaram denúncias por estupro e outras analisam comparecer aos tribunais por esse crime ou por agressão sexual. No número mais recente, lançado na quarta-feira passada, a revista ironiza a defesa preparada pelo intelectual e o exibe com o pênis gigante em ereção.

"Sou o sexto pilar do islã", afirma ele.

Em julho de 2016, em plena Eurocopa, os funcionários do "Charlie Hebdo" também foram ameaçados quando o jogador francês Antoine Griezmann foi retratado como um vibrador e o título "Me façam vibrar".