Polícia da Rússia prende mais de 230 pessoas no centro de Moscou

(Atualiza o número de presos).

Moscou, 5 nov (EFE).- A Polícia da Rússia prendeu neste domingo mais de 260 pessoas no centro de Moscou em uma operação contra ativistas do movimento Artpodgotovka, liderado por Viacheslav Maltsev, que fugiu do país depois de ameaçar iniciar uma revolução pacífica na data de hoje.

"Foram detidas 263 pessoas no centro de Moscou por alteração da ordem pública", disse um porta-voz da polícia à "Interfax".

A maioria das prisões ocorreu na praça Manezh, em frente aos muros do Kremlin, e também na rua Tverskaya.

A "OVD-Info", site especializado em acompanhar as perseguições políticas na Rússia, afirma que mais de 300 pessoas foram presas, algumas delas em São Petersburgo e Krasnoyarsk.

A operação contra o Artpodgotovka começou na sexta-feira, quando agentes do Ministério do Interior e do Serviço Federal de Segurança (FSB, antiga KBG) prenderam vários membros desse movimento.

O FSB informou que o grupo preparava ações violentas e de desordem pública para hoje. Eles também acusam a Artpodgotovka de querer incendiar vários prédios administrativos de Moscou.

Maltsev, que está há quatro anos planejando uma revolução no dia 5 de novembro, convocou os simpatizantes do movimento a ir às ruas de todas as cidades da Rússia, ficando de pé até que o presidente do país, Vladimir Putin, apresente sua denúncia.

Ontem, cerca de 30 ultranacionalistas foram presos durante a chamada Marcha Russa, convocada em um bairro da capital.

Horas antes, Ivan Beletski, copresidente do Partido dos Nacionalistas, e Yuri Gorski, ativista do movimento Nova Oposição, denunciaram que suas casas foram revistadas pela polícia local.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos