Força Aérea não anotou antecedentes criminais do autor massacre no Texas

Washington, 7 nov (EFE). - A Força Aérea reconheceu nesta terça-feira que não colocou os antecedentes criminais de Devin Kelley, autor do massacre numa igreja do Texas, nos registros do FBI, como indicam os protocolos, o que permitiu que ele conseguisse comprar legalmente as armas.

Há alguns anos, ele foi condenado a 12 meses de prisão por violência doméstica contra a mulher e o filho dela e expulso da Força Aérea por mau comportamento. Por causa dessa condenação, ele devia ter entrado nos registros do FBI que teriam impedido a aquisição de armas e equipamentos militares de forma legal.

"As informações iniciais indicam que os crimes de violência doméstica de Kelley não foram incluídos na base de dados do Centro Nacional de Informação Criminal do FBI", reconheceu em comunicado a porta-voz da Força Aérea Ann Stefanek.

Segundo o jornal "The Washington Post", o atirador comprou várias armas numa loja que verificou o seu histórico antes de finalizar a venda.

No último domingo, Kelley matou 26 pessoas e feriu outras 20 durante no culto de uma igreja batista em Sutherland Springs, uma pequena comunidade rural no centro do Texas. Depois, ele se matou. As autoridades confirmaram que ele executou o massacre usando um rifle e vestindo um colete à prova de balas.

O Pentágono anunciou a abertura de uma investigação para saber porque o homem não entrou nos registros do FBI e que também incluirá "a revisão de políticas e procedimentos para garantir que dados de outros casos sejam introduzidos corretamente".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos