Topo

Acusado de estuprar freira idosa na Índia é condenado à prisão perpétua

08/11/2017 10h06

Nova Délhi, 8 nov (EFE).- Um tribunal indiano condenou nesta quarta-feira à prisão perpétua um acusado de estuprar uma freira septuagenária durante o roubo a um colégio cristão em março de 2015 no estado de Bengala, no leste da Índia, enquanto outros quatro foram condenados a 20 anos de prisão por furto e conspiração criminosa.

O principal acusado, identificado como Nazrul Islam, foi condenado à prisão perpétua após ser considerado culpado por estupro, roubo e conspiração criminosa para cometer furto, informou a agência indiana PTI.

O órgão judicial de Calecute condenou, além disso, a dez anos de prisão e multa de US$ 300 por furto outros quatro acusados que participaram do assalto ao colégio cristão, aos quais se somam outros dez anos e uma multa de US$ 150 por conspiração criminosa.

Um sexto acusado, que alojou os cinco autores do assalto, foi condenado a dez anos de prisão por conspiração e a outros sete por ajudar os cinco culpados, de acordo com PTI.

Os fatos ocorreram em março de 2015, quando um grupo de ladrões entrou em um colégio cristão em Ranaghat, onde roubou diversos artigos e, antes de deixar o local, um dos homens estuprou a freira após perguntar pela madre superiora.

Milhares de pessoas se manifestaram em Bengala nos dias posteriores ao assalto e abuso sexual para mostrar apoio à freira e pedir que esse tipo de ataque não ocorra novamente.

O caso também levou o principal responsável da Igreja Católica na Índia e presidente da Conferência de Bispos, o cardeal Baselios Cleemis, a pedir ao Governo que fizesse justiça "o mais rápido possível".