Obama se apresenta para ser jurado de caso em Chicago, mas não é selecionado

Chicago (EUA), 8 nov (EFE).- O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama se apresentou nesta quarta-feira para ser jurado em um julgamento no condado de Cook, onde está Chicago, que ficou lotado de jornalistas, agentes do serviço secreto e curiosos, mas acabou não sendo selecionado, deixando o local sob aplausos.

"Seus serviços não foram necessários, e o presidente foi autorizado a ir embora na hora do almoço", informou o juiz-chefe do tribunal do condado de Cook, Timothy Evans, que recebeu e escoltou Obama até a sala dos jurados do local, no centro de Chicago.

O ex-presidente aproveitou as duas horas que esteve no tribunal para saudar e agradecer aos outros cidadãos que foram convocados para o mesmo serviço. E, inclusive, tirou fotos com alguns deles e deu autógrafos em livros.

Walter Palmer, um dos convocados a ser jurado, agradeceu ao ex-presidente por "não ter tentado fugir de seu dever cívico".

Nos EUA, qualquer cidadão pode ser convocado para servir como jurado e passam por uma pré-seleção de acordo com o caso. A participação é obrigatória, exceto se a pessoa convocada apresentar provas de algum motivo que a impeça de comparecer ao tribunal.

Evans informou que Obama acabou não sendo escolhido. Ele e os demais não selecionados foram autorizados a deixar o local perto das 12h locais. Como o restante dos jurados, o ex-presidente recebeu um cheque de US$ 17,20 por ter se apresentado ao tribunal.

Foi a segunda vez que Obama foi selecionado para servir como jurado. Na primeira vez, em janeiro de 2010, no entanto, o democrata estava ocupado com as tarefas da presidência na Casa Branca.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos