Putin denuncia tentativas dos EUA de influenciar nas eleições russas

Moscou, 9 nov (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, denunciou nesta quinta-feira as tentativas dos Estados Unidos de influenciar nas eleições presidenciais do país que serão realizadas em março, em resposta à "imaginária ingerência" russa no passado pleito presidencial americano.

"Em resposta à imaginária ingerência nas suas eleições (dos EUA), querem criar problemas nas eleições do presidente da Rússia", disse o chefe do Kremlin em reunião com trabalhadores de uma fábrica de Chelyabinsk, nos Urais, citado por veículos de imprensa locais.

Putin, que ainda não anunciou se tentará a reeleição, vinculou as denúncias contra a Rússia de apoiar o doping dos esportistas com a realização do pleito presidencial russo convocado para 18 de março.

"Há algo que me preocupa: a Olimpíada deve começar em fevereiro, e quando são nossas presidenciais? Em março. São grandes as suspeitas de que isto foi feito para criar descontentamento entre os torcedores e os esportistas para falar que o Estado é responsável pelas irregularidades", disse.

O líder indicou que as organizações esportivas internacionais, incluído o Comitê Olímpico Internacional, são altamente dependentes, em particular de patrocinadores, dos proprietários dos direitos de televisão e da publicidade.

"Trata-se de um grande acúmulo de contratos e dependências", disse Putin. "O pacote de controle está nos EUA, porque lá estão as principais companhias que pagam pelos direitos de televisão, lá estão os principais patrocinadores, os principais compradores de espaços publicitários".

O presidente russo fez escala em Chelyabinsk a caminho do Vietnã, onde participará da cúpula de líderes dos países do Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (Apex) que começa amanhã na cidade de Danang.

Espera-se que durante a cúpula Putin mantenha um encontro com o seu colega americano, Donald Trump, eventualidade que ainda não foi confirmada.

A agência oficial russa "RIA Novosti" informou hoje, citando o vice-ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Riabkov, que a reunião será realizada na sexta-feira, mas mais tarde o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, afirmou que o encontro ainda não está confirmado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos