Seis soldados morrem em emboscada feita por jihadistas nas Filipinas

Manila, 9 nov (EFE).- Seis soldados das Forças Armadas das Filipinas morreram e outros quatro ficaram feridos no sul do país durante uma emboscada perpetrada pelo grupo Sayyaf, que jurou lealdade ao Estado Islâmico (EI), informaram nesta quinta-feira as autoridades militares.

Os soldados caíram na armadilha na quarta-feira enquanto perseguiam um grupo de jihadistas desta organização terrorista na ilha de Basilán, no sudoeste da ilha de Mindanao, segundo explicou o Comando de Mindanao Ocidental em comunicado.

Os membros de Abu Sayyaf que perpetraram a emboscada contaram com a ajuda de parentes e seguidores em uma ação que se prolongou por mais de quatro horas e obrigou o Exército a desdobrar dois batalhões de infantaria e soldados da Força Aérea.

Os corpos dos soldados foram entregues hoje às suas famílias, enquanto o Comando de Mindanao Ocidental prometeu intensificar sua campanha na luta contra este grupo que tem seu reduto em Basilán, ilha habitada por cerca de 300 mil pessoas.

Abu Sayyaf nasceu em 1991 pelas mãos de ex-combatentes da guerra do Afeganistão contra a extinta União Soviética.

O então líder da facção de Abu Sayyaf em Basilán, Isnilon Hapilon, participou do levantamento armado perpetrado por jihadistas filipinos e estrangeiros - e comandado por outro grupo terrorista local, o Maute - na cidade de Marawi, em Mindanao, em 23 de maio.

As Forças Armadas recuperaram Marawi em 23 de outubro, após cinco meses de combates que deixaram mais de 1,1 mil mortos e poucos dias depois da morte de Hapilon.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos