Morador de edifício que desabou na Rússia é indiciado por assassinato

(Corrige data no lead).

Moscou, 10 nov (EFE).- Investigadores de polícia da Rússia detiveram nesta sexta-feira e indiciaram por homicídio um homem que vivia no edifício de nove andares que desabou ontem na cidade de Izhevsk, capital da região de Udmurtia, no centro do país, causando pelo menos seis mortes.

"Com base nos primeiros resultados da investigação, incluído o interrogatório de Aleksandr Kopytov, foi aberto contra ele um caso penal como suspeito de assassinato", afirmou uma porta-voz do Comité de Instrução da Rússia, segundo a agência "Interfax".

O detido é o filho da dona de um dos apartamentos do prédio, que os investigadores situaram como o local de origem da forte explosão que derrubou completamente o edifício.

Segundo a polícia, o homem, de 27 anos, teria provocado uma explosão de gás motivada por "animosidade pessoal", mas não indicou contra quem.

"O detido será submetido a um exame psiquiátrico, já que existem dúvidas sobre o seu estado mental", acrescentaram as fontes.

Pelo menos seis pessoas morreram ontem no desabamento do edifício residencial, segundo os últimos dados divulgados hoje pelas autoridades locais.

Os serviços de resgate continuam trabalhando no local, por isso o número de vítimas pode aumentar nas próximas horas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos