UE dá prazo de 2 semanas para que Reino Unido mostre progressos sobre Brexit

Bruxelas, 10 nov (EFE).- O negociador da União Europeia para o "Brexit", Michel Barnier, pediu nesta sexta-feira ao Reino Unido que deixe claro em duas semanas questões sobre os direitos dos cidadãos, a fronteira irlandesa e o acordo financeiro, para assim passar à segunda etapa da negociação em dezembro.

"A minha resposta é sim", disse o político francês na entrevista coletiva posterior à sexta rodada de discussões sobre a saída britânica da UE, ao ser questionado se necessitava desses esclarecimentos nos próximos 14 dias para recomendar aos chefes de Estado e de Governo dos Vinte e Sete o início das conversas sobre a futura relação com Londres.

Na cúpula de 19 e 20 de outubro, os líderes dos países que permanecerão no bloco comunitário após a saída britânica acordaram iniciar os trabalhos preparatórios sobre a segunda fase das negociações e confiaram em dar sinal verde ao início no Conselho Europeu de 14 e 15 de dezembro.

De todas formas, nessa mesma reunião realizada no mês passado em Bruxelas os líderes dos Vinte e Sete constataram que não tinha ocorrido avanços suficientes nos pontos prioritários da primeira etapa.

Por sua vez, o ministro britânico para a saída da UE, David Davis, descartou a criação de uma nova fronteira dentro do Reino Unido, após a proposta da União de a Irlanda do Norte permanecer dentro do mercado único e da união aduaneira para manter aberta sua fronteira com a vizinha República da Irlanda.

"Reconhecemos a necessidade de soluções específicas para as circunstâncias únicas da Irlanda do Norte. Mas me deixem ser claro. Isso não pode dar lugar à criação de uma nova fronteira dentro do Reino Unido", afirmou o político.

O ministro admitiu respeitar o "desejo" do bloco comunitário de proteger sua ordem legal, o mercado único e a união aduaneira, mas recalcou que isso não pode ocorrer "às custas das integridade constitucional e econômica do Reino Unido".

Em qualquer caso, ressaltou o compromisso de Londres com o acordo de paz da Sexta-feira Santa e assegurou que é preciso enfrentar os desafios do "Brexit" na ilha irlandesa com "pragmatismo, criatividade e um alto nível de sensibilidade política".

Um documento comunitário divulgado hoje pela emissora pública da República da Irlanda (RTE) e elaborado pelo grupo de trabalho de Barnier indica que para evitar uma barreira física estrita, o Reino Unido deve permanecer no mercado único e na união aduaneira ou, na sua falta, que a Irlanda do Norte siga dentro destes espaços econômicos.

O texto foi distribuído na quarta-feira aos países-membros e apresentado ontem à delegação do Governo de Londres liderada por Davis.

Na sexta rodada de negociações, que começou ontem e terminou hoje, não houve grandes avanços, como reconheceu perante os veículos de imprensa negociador-chefe da UE.

"Vou dizer que não devem esperar de nós hoje, no momento em que estamos, anúncios ou decisões", disse Barnier durante a entrevista coletiva que concedeu.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos