Vídeo mostra que patrulha da Líbia pode ter permitido mortes no Mediterrâneo

Roma, 11 nov (EFE).- Um vídeo da ONG alemã Sea-Watch mostra uma patrulha da Marinha da Líbia durante uma ação com ocupantes de um bote inflável no Mar Mediterrâneo na última segunda-feira se negando a colaborar e deixando alguns imigrantes na água, provocando o desaparecimento de pelo menos 50 pessoas, de acordo com a organização.

Nas imagens, atualmente nas mãos do Ministério Público de Ragusa, na Itália, que abriu uma investigação, é possível ver a embarcação da Marinha partindo com alguns refugiados a bordo, apesar de ter pessoas agarradas nas cordas e outras se lançando ao mar. Perto do navio oficial estava um barco com integrantes da Sea-Watch que estavam resgatando parte do grupo e conseguiram gravar o ocorrido.

O jornal "La Repubblica" publicou a história de uma mulher ajudada pela ONG alemã e que perdeu o marido, que estava no navio líbio e pulou na água na tentativa embarcar com a esposa.

"Os líbios ligaram o motor arrastando ele e todos os outros que estavam na água. Não voltei a vê-lo. John não sabia nadar. Estava a salvo, mas morreu porque não queria voltar para à Líbia, queria vir comigo para à Itália", explica Darfish, do Camarões.

Os ocupantes de um helicóptero da Marinha italiana também foram testemunhas. Na gravação dá pra ver que eles pedem que os líbios parem a embarcação e ajudem os imigrantes.

De acordo com a ONG, cerca 50 pessoas desapareceram, enquanto outras 42 gritavam desesperadas por ter sido separadas de famílias e amigos que estavam no barco da Sea-Watch. Ainda conforme a organização, os integrantes só conseguiram recuperar os corpos de cinco pessoas, entre elas uma criança de dois anos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos