Terremoto no Irã causa pelo menos 200 mortos e mais de 1.600 feridos

Teerã, 13 nov (EFE).- Mais de 200 pessoas morreram e 1.600 ficaram feridas após o terremoto de 7,3 graus na escala Richter que assolou na noite deste domingo a província de Kermanshah, no oeste do Irã e na fronteira com o Iraque.

O vice-presidente da Organização de Gestão de Crise do Irã, Behnam Saidi, informou hoje à televisão estatal que por enquanto foram confirmados 207 mortos e 1.686 feridos.

Saidi não descartou que o número de vítimas possa aumentar devido a que os trabalhos de resgate e de retirada de escombros continuam.

As cidades mais afetadas no Irã foram Ghasr Shirin, Sarpul e Azgale.

Os moradores de muitas destas regiões foram evacuados das suas casas por causa do medo de desmoronamentos.

Foram enviados para estas cidades soldados do Crescente Vermelho do Irã, do Exército e do Corpo dos Guardiães da Revolução Islâmica (CGRI) para ajudar nos trabalhos de resgate.

Um comitê de gestão de crise presidida pelo ministro do Interior iraniano, Abdolreza Rahmani Fazli, fez uma reunião de emergência para estudar as dimensões do terremoto.

Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês), o terremoto aconteceu às 21h18 (horário local, 16h18 em Brasília) perto da cidade iraquiana de Halabya, na região do Curdistão, onde pelo menos quatro pessoas morreram e 500 ficaram feridas.

No entanto, o Centro Sismológico do Irã, ligado à Universidade de Teerã, informou que o epicentro aconteceu na cidade de Azgale a uma profundidade de 11 quilômetros.

Cerca de 30 réplicas, algumas de até 4,5 graus, foram sentidas em várias províncias iranianas, entre elas Curdistão, Khuzestão, Hamedan, Azerbaijão Ocidental e Oriental, e inclusive na capital Teerã.

O Irã apresenta uma grande atividade sísmica. O terremoto mais grave até o momento aconteceu em junho de 1990, quando 37 mil pessoas morreram em vários povoados do norte do país.

Outro terremoto registrado em dezembro de 2003 na província de Kerman deixou um saldo de 31 mil mortos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos