Fortes chuvas deixam pelo menos 15 mortos e rastro de destruição na Grécia

Atenas, 15 nov (EFE).- Pelo menos 15 pessoas morreram, 17 ficaram feridas e várias estão desaparecidas depois de fortes chuvas terem castigado municípios da região de Ática, onde está Atenas, capital da Grécia, deixando também um rastro de destruição no local.

As imagens de devastação mostradas ao longo do dia mostram um pouco dos danos gerados pelas fortes chuvas que atingiram o país: carros arrastados pelas correntezas, pessoas nos tetos de suas casas, imóveis inundados e ruas transformadas em lodaçais.

Em alguns pontos, a água chegou a dois metros de altura.

O Corpo de Bombeiros confirmou a morte de 15 pessoas, mas as autoridades temem que o número de vítimas possa aumentar, já que há vários desaparecidos.

A maior parte das vítimas foi localizada na cidade de Mandra, a mais afeta pela chuva e que fica a 20 quilômetros de Atenas.

Após poucos minutos de chuva, as ruas de Mandra ficaram completamente inundadas, mas também devido aos deslizamentos de montanhas próximas, onde a tempestade começou muito antes.

Os corpos de dois homens foram encontrados boiando no mar perto do porto de Eleusis, a 18 quilômetros de Atenas. Outros dois foram encontrados em um posto de gasolina que ficou ilhado pela chuva.

Segundo os agentes, 17 pessoas ficaram feridas e foram levadas a vários hospitais da região.Os bombeiros, além disso, já conseguiram retirar 86 pessoas que estavam presas em casa.

Na Câmara Municipal de Mandra, a água arrastou todos os carros que estavam parados no estacionamento do local.

"As pessoas estão presas em casa, a água atingiu um metro. Não há água potável nem eletricidade em toda a região. Nada ficou de pé em Mandra", disse por telefone a uma rádio local a prefeita da cidade, Ioanna Kriekuki, que também está presa dentro de sua própria casa.

As chuvas também causaram inundações nas cidades de Mégara e Nea Péramos, onde as pessoas também estão presas em casa ou em carros.

A água inutilizou várias ruas e estradas da região, e os bombeiros tiveram que utilizar lanchas para resgatar os afetados.

O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, expressou condolências aos afetados, declarou luto nacional e afirmou que o governo ajudará todas as vítimas com rapidez.

Além disso, Tsipras disse que vai pedir uma investigação para esclarecer as causas da tragédia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos