Trump é acusado de confundir massacres no Texas e na Califórnia em post no Twitter

Em Washington

  • Reprodução/Twitter

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, gerou polêmica nesta quarta-feira (15) com um tweet no qual ele aparentemente confundia o massacre de terça no norte da Califórnia com o de 5 de novembro em uma igreja do Texas, e que apagou de sua conta oficial algumas horas depois, após receber críticas.

Pouco antes da meia-noite de terça-feira, quando acabava de aterrissar em Washington após uma viagem de 13 dias pela Ásia, Trump escreveu uma mensagem no Twitter que fazia referência ao massacre ocorrido há dez dias em Sutherland Springs (Texas), que deixou 26 mortos.

"Que Deus esteja com o povo de Sutherland Springs, Texas. O FBI e as forças de aplicação da lei chegaram", escreveu Trump.

Esse tweet era muito similar ao que ele publicou no dia do massacre, em 5 de novembro, quando escreveu: "Que Deus esteja com o povo de Sutherland Springs, Texas. O FBI e as forças de aplicação da lei estão no terreno. Estou acompanhando a situação do Japão".

A similaridade entre as mensagens e o fato de que o último tweet foi postado horas depois do massacre em uma escola na Califórnia levou vários usuários do Twitter a especularem que o presidente poderia ter "copiado e colado" sua mensagem sobre o ataque no Texas, e que se esqueceu de mudar os detalhes para ajustá-lo ao episódio de terça-feira.

Trump apagou o tweet na manhã de hoje, mas vários veículos de imprensa americanos tinham capturado a mensagem e algumas das respostas enviadas pelos usuários.

"Usou o mesmo tweet para Texas e Califórnia. Se esqueceu de mudar o estado. E ninguém o revisa. Desrespeitoso e negligente", escreveu James Costos, que exerceu o cargo de embaixador dos EUA na Espanha entre 2013 e 2017, durante o segundo mandato de Barack Obama.

Por sua vez, uma usuária identificada como CK tuítou que é "bastante triste que, quando há tantos massacres com armas de fogo", Trump "se limite a usar o mesmo tweet genérico para responder a todos".

A Casa Branca não esclareceu se Trump tratava, com efeito, de reagir ao episódio na Califórnia, que deixou pelo menos cinco mortos, entre eles o próprio atirador.

O fato aconteceu na reserva Rancho Tehama, situada cerca de 185 quilômetros ao norte de Sacramento, e, segundo as primeiras investigações, o autor do tiroteio escolheu suas vítimas ao acaso e passou por várias partes do local sem parar de atirar.
 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos