Em prisão domiciliar, Mugabe encontra delegação mediadora sul-africana

Harare, 16 nov (EFE).- O presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, a quem militares mantêm sob prisão domiciliar desde terça-feira, saiu nesta quinta-feira da sua residência para se reunir com a delegação enviada pelo seu homólogo da África do Sul, Jacob Zuma, informou o portal sul-africano eNCA.

Vários meios de comunicação reproduziram imagens do comboio presidencial circulando em alta velocidade pelas ruas da capital, Harare, se dirigindo supostamente para o palácio presidencial.

Zuma anunciou ontem que enviaria ao Zimbabué o ministro de Defesa, Nosiviwe Mapisa-Nqakula, e o titular de Segurança, Bongani Bongo, para se reunir com Mugabe e com os comandantes das forças armadas com o objetivo de mediar a crise gerada no país depois que os militares tomaram o controle.

O Zimbabué vive hoje uma espécie de calma tensa em meio aos rumores de que se está desenvolvendo uma negociação que poria fim a 37 anos do presidente no poder.

Durante o dia de ontem, segundo confirmou a imprensa local, os militares não só confinaram o chefe de Estado, de 93 anos, mas também detiveram três ministros vinculados às aspirações políticas da primeira-dama, Grace Mugabe, de 52 anos e que era cogitada como candidata a vice-presidente depois que seu marido destituiu Emmerson Mnangagwa na semana passada.

A expulsão do vice-presidente - um veterano de guerra que aparecia em todas as previsões como sucessor de Mugabe - parece o detonante principal da crise.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos