Líder preso de organização separatista catalã será candidato eleitoral

Barcelona (Espanha), 16 nov (EFE).- O líder independentista da Assembleia Nacional Catalã (ANC), Jordi Sánchez, em prisão preventiva por suposto delito de insurreição, será o número dois da candidatura para as eleições regionais de 21 de dezembro que liderará o ex-presidente da Catalunha Carles Puigdemont.

O próprio Sánchez confirmou hoje em mensagem enviada da prisão que deixa a presidência desta organização defensora da soberania para se integrar à lista de Junts per Catalunya para essa eleição, convocada pelo Governo espanhol após destituir, em 27 de outubro, o governo independentista catalão.

Pelo contrário, o presidente da entidade Òmnium Cultural, o separatista Jordi Cuixart, preso provisoriamente pelo mesmo motivo, recusou concorrer no pleito porque a seu juízo, segundo argumentou, é "transversal", ou seja, "incompatível" estar em uma lista eleitoral.

Em carta publicada hoje por um jornal catalão, Cuixart reivindica uma grande vitória do soberanismo nessas eleições.

Sánchez e Cuixart permanecem detidos de Madri desde o dia 16 de outubro, quando uma juíza os mandou para a prisão sem fiança, acusados de "promover" o assédio à Guarda Civil (corpo de segurança) no dia 20 de setembro em Barcelona durante uma operação para impedir a realização do referendo ilegal de autodeterminação de 1 de outubro passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos