Zuma pede reunião de urgência da SADC para tratar sobre situação no Zimbábue

Johanesburgo, 16 nov (EFE).- O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, na qualidade de número um da organização regional Comunidade para o Desenvolvimento da África Meridional (SADC, na sigla em inglês), convocou uma reunião de urgência para tratar sobre a crise originada pela intervenção militar no Zimbábue.

O encontro vai acontecer nesta quinta-feira às 15h (horário local, 11h em Brasília) na capital de Botsuana, Gaberone, e dele vão participar os ministros de Assuntos Exteriores de Angola, Tanzânia e Zâmbia, assim como o presidente do Conselho da SADC, o ministro de Relações Internacionais e Cooperação da África do Sul.

Zuma reivindicou ontem ao Governo do Zimbábue e às forças armadas que "resolvam o 'impasse' político de forma amistosa", em comunicado no qual expressou seu desejo de que a situação não derive em "mudanças inconstitucionais de Governo, visto que isso seria contrário às posições tanto da SADC como da União Africana".

Muitas vozes dizem que está acontecendo um golpe de Estado no Zimbábue, depois que o Exército tomou as ruas da capital, Harare, desde terça-feira à tarde, e mantenha em prisão domiciliar o presidente, Robert Mugabe, após deter vários dos seus ministros.

No entanto, um porta-voz das Forças Armadas negou que se tratasse de um "golpe militar", mas de uma operação contra "criminosos" do entorno em volta do presidente.

Durante o dia de ontem, segundo confirmou a imprensa local, os militares detiveram três ministros afins às aspirações políticas da primeira-dama, Grace Mugabe, que aparecia como candidata a vice-presidente depois de seu marido destituir, na semana passada, Emmerson Mnangagwa.

Precisamente, a expulsão do vice-presidente - veterano de guerra que estava nas apostas à sucessão de Mugabe (de 93 anos e no poder desde 1980) - é vista como o principal estopim da crise.

Algumas informações que chegaram da vizinha África do Sul afirmam que Mnangagwa estaria negociando com a oposição e com os veteranos de guerra um governo de transição até as eleições de 2018, o que confirmaria a teoria de que está acontecendo um golpe de Estado no Zimbábue.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos