Ministra lusa diz que caso de brasileira morta não gerou agitação social

Lisboa, 17 nov (EFE).- A ministra de Justiça portuguesa, Francisca van Dunem, considerou nesta sexta-feira que o caso da mulher brasileira que foi morta em Lisboa por um disparo da polícia não gerou agitação social no país.

"Não diria que o fato tenha gerado um alarme social. Obviamente foi um caso que o Governo já lamentou e que não deve mais ocorrer", afirmou em declarações a jornalistas no Algarve (sul).

Van Dunem acrescentou que o Governo português fez o que tinha que fazer neste caso, abrir uma investigação "para esclarecer as condições exatas" em torno do caso.

A Promotoria portuguesa está investigando a morte de Ivanice Carvalho, uma cidadã brasileira de 36 anos que foi atingida pelos disparos da polícia durante uma perseguição em Lisboa na quarta-feira.

A brasileira foi perseguida depois de um assalto a um caixa eletrônico. Os assaltantes fugiram em um veículo e a Polícia de Segurança Pública da capital portuguesa estabeleceu um controle para interceptá-lo.

Com a aproximação de um carro que parecia responder às características do veículo suspeito, a polícia deu a ordem para parar, mas o motorista do veículo - que não portava os documentos necessários - não parou e assim os agentes dispararam e atingiram a brasileira, que estava no banco do passageiro.

Seis agentes da PSP foram considerados "suspeitos oficiais" e estão sob investigação.

A família da brasileira morta já anunciou que irá à Justiça para pedir uma indenização ao Governo português e exigir uma punição aos agentes responsáveis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos