Topo

Mali condena venda de emigrantes como escravos na Líbia

18/11/2017 22h32

Bamaco, 18 nov (EFE).- O Governo do Mali condenou neste sábado "energicamente" a venda em leilão de emigrantes subsaarianos na Líbia e pediu ao governo do país norte-africano para buscar e julgar os autores.

Em comunicado, o Governo malinês manifestou sua "profunda preocupação e indignação" com as informações relacionadas ao leilão dos emigrantes subsaarianos na Líbia.

"O Governo malinês condena energicamente estas práticas desumanas que lembram uma página obscura e dolorosa da história da África", diz o comunicado.

Além disso, Mali pediu que a situação dos emigrantes subsaarianos na Líbia e em outros países seja objeto de discussões na União Africana, e manifestou seu compromisso de lutar "contra todo tipo de tráfico de seres humanos".

O escândalo veio à tona depois de um vídeo divulgado pela rede "CNN" que mostra como emigrantes subsaarianos são leiloados como escravos na Líbia, o que causou grande comoção na África e provocou a reação de vários dirigentes do continente.