Mugabe volta a se reunir com comandantes militares para negociar sua renúncia

Harare, 19 nov (EFE).- O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, está reunido com os altos comandantes das forças armadas para negociar sua possível renúncia após o levante dos militares contra seu governo.

Esta é a segunda reunião oficial entre as duas partes, depois da realizada na sexta-feira passada, segundo informa o jornal estatal "The Herald".

Esse meio estatal, que está agora sob o controle dos militares, divulgou a notícia acompanhada por várias fotos nas quais se vê Mugabe cumprimentando os líderes das forças armadas do país.

Paralelamente, o partido de Mugabe, a União Nacional Africana de Zimbábue-Frente Patriótica (ZANU-PF), terminava de definir sua destituição à frente da legenda política que fundou e lhe dava um ultimato para deixar o governo antes de amanhã, sob a ameaça de impulsionar uma moção de censura no parlamento.

Em substituição de Mugabe foi nomeado à frente do partido o ex-vice-presidente Emmerson Mnangagwa, o homem cuja destituição na semana passada foi considerada o estopim da atual crise política.

Os militares tomaram o controle do país na noite entre terça e quarta-feira e, em mensagem transmitida de madrugada na televisão nacional, explicaram que não se tratava de um golpe contra o presidente, mas de uma operação contra "criminosos" do seu entorno.

As forças armadas tentam assim reforçar a ideia que não se trata de um golpe de Estado, algo que seria rejeitado pela comunidade internacional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos