Papa lancha com 1.500 pobres e critica indiferença contra necessitados

(Atualiza com novas informações).

Cidade do Vaticano, 19 nov (EFE).- O papa Francisco disse neste domingo na Basílica de São Pedro perante milhares de pessoas necessitadas que a indiferença é o "maior pecado contra os pobres" e que para os cristãos é um "dever evangélico" cuidar deles.

O pontífice pronunciou estas palavras na homilia da missa realizada na basílica vaticana na 1ª Jornada Mundial dos Pobres, iniciativa do papa da qual participam pessoas com poucos recursos.

Francisco afirmou que essa indiferença para os pobres significa "olhar para outro lado quando o irmão passa necessidade, é mudar de canal quando uma questão séria nos incomoda, é também indignar-se perante o mal, mas não fazer nada".

"Deus, no entanto, não nos perguntará se temos nos indignado com razão, mas se fizemos o bem", acrescentou o papa.

O pontífice destacou ainda que nos pobres "se manifesta a presença de Jesus" e que "se aos olhos do mundo têm pouco valor, são eles os que nos abrem o caminho para o céu, são o nosso passaporte para o paraíso".

A missa foi assistida por entre 6.000 e 7.000 pessoas pobres, muitas acompanhados de membros de organizações de ajuda a necessitados, que procedem sobretudo de países europeus, embora também haja refugiados de outras partes do mundo.

Em seguida, Francisco lanchou com 1.500 deles na Sala Paulo VI do Vaticano, o que transformou pela primeira vez a enorme sala das audiências papais projetada pelo arquiteto italiano Pier Luigi Nervi em um incomum refeitório, com mesas circulares dispostas ao redor de outra central onde se sentou o pontífice.

O papa abriu este lanche com o desejo de "que Deus nos abençoe, abençoe nossos corações, nossas famílias, nossos desejos, que nos dê saúde e força. Também uma bênção a todos os que estão em outros refeitórios em toda Roma".

A banda da Gendarmaria Vaticana e o coro "Le dolci note" levaram música à refeição, servida por 150 voluntários procedentes de diferentes dioceses e paróquias.

O menu foi elaborado por um conhecido restaurante da cidade de Bassano del Grappa, na região do Vêneto e estava composto de gnochetti sardi com tomate, azeitonas e queijo de Collina Veneta, guisado de carne com verduras, polenta e brócolis e tiramisu de sobremesa.

Cerca de 2.500 pessoas que tinham assistido à missa no Vaticano foram convidadas a comer em refeitórios de seminários e instituições católicas de Roma, como Comunidade de Santo Egídio, Cáritas, o Círculo de São Pedro e o Pontificio Collegio Americano del Nord.

Além disso, neste domingo continuaram sendo prestados serviços aos pobres chegados de diversas partes da Itália e outros países europeus pelo dispositivo médico móvel instalado junto à Praça de São Pedro que o papa Francisco visitou na sexta-feira.

Nessa instalação médica foram oferecidas gratuitamente durante esta semana consultas médicas com especialistas de cardiologia, dermatologia, doenças infecciosas, ginecologia e andrologia, com o apoio de diferentes instituições médicas de Roma e do Vaticano.

A assistência aos pobres prestada ali, assim como o lanche oferecido no Vaticano, faz parte das iniciativas implementadas nos últimos anos durante o pontificado de Francisco, dirigidas a ajudar às pessoas desfavorecidas no entorno da Cidade do Vaticano.

Exemplos disso foram os serviços de duchas, atendimento médico, barbearia e lavanderia e o alojamento para pessoas sem-teto criados nos arredores da Praça de São Pedro.

No ano passado também começou a operar no mesmo lugar um ambulatório médico onde os sem-teto podem receber assistência de médicos voluntários da associação italiana Medicina Solidale.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos