Em carta, presidente de Botsuana pede que Mugabe renuncie

Johanesburgo, 21 nov (EFE).- O presidente de Botsuana, Ian Khama, publicou nesta terça-feira uma carta aberta na qual reivindica ao líder do Zimbábue, Robert Mugabe, "que honre o cargo e renuncie ao poder".

Na carta, publicada na conta do Twitter do Governo, Khama diz a Mugabe que "o povo do Zimbábue esteve sujeito durante muito tempo a um indescritível sofrimento derivado de um governo ineficiente sob sua liderança".

A política econômica de Mugabe teve seu ponto mais baixo após a hiperinflação de 2008, após a qual o país - considerado tradicionalmente como um dos celeiros 'da África '- perdeu a sua própria moeda.

Portanto, a saída do poder do homem que dirigiu o Zimbábue durante os últimos 37 anos "daria lugar a uma nova distribuição política que sentará as bases da recuperação socioeconômica que tanto necessita" o país, considera Khama.

O chefe de Estado acredita que a renúncia de Mugabe anteciparia a chegada de "um novo período de unidade, paz e prosperidade para os zimbabuanos" no qual o Zimbábue poderia "se transformar na potência econômica que é capaz de ser".

Durante seu mandato, que começou em 2008, Khama foi um dos principais críticos de Mugabe na região.

O ainda chefe de Estado do Zimbábue se encontra sob prisão domiciliar desde a revolta militar da noite de quarta-feira, desencadeada pela destituição do vice-presidente, Emmerson Mnangagwa, forçada pela facção do partido governante apoiadora às ambições de poder da primeira-dama, Grace Mugabe.

A formação, a União Nacional Africana de Zimbábue-frente Patriótico (ZANU-PF), colocará hoje no Parlamento uma moção de censura para expulsar Mugabe da presidência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos