Rússia denuncia detenção de senador do país na França e exige libertação

Moscou, 21 nov (EFE).- O Ministério de Relações Exteriores da Rússia denunciou nesta terça-feira que a polícia da França deteve ontem, no aeroporto de Nice, o senador russo Suleiman Kerimov e exigiu a libertação imediata do político, ao afirmar que ele possui imunidade e não pode ser preso em território estrangeiro.

"O Ministério de Relações Exteriores da França foi informado que Kerimov é membro do Conselho da Federação (Senado) da Rússia, é um representante oficial do país e, como tal, goza de imunidade no território de outros países. Ele possui um passaporte diplomático", disse um porta-voz da chancelaria russa à agência "Interfax".

Já a porta-voz da embaixada da Rússia em Paris, Anna Slichkova, disse que os diplomatas russos estão em permanente contato com as autoridades francesas para conseguir a libertação de Kerimov, mantido em uma delegacia de Nice desde a detenção no aeroporto.

O vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Senado da Rússia, Franz Klintsevich, classificou o incidente como uma "provocação" e garantiu que Kerimov é uma pessoa respeitável.

"Devem existir argumentos de peso para sua detenção", disse.

Veículos da imprensa francesa dizem que o senador é suspeito de sonegar impostos e lavar dinheiro. A revista "Forbes" avalia que o político e empresário russo tem uma fortuna de US$ 6,3 bilhões.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos