Mladic é condenado à prisão perpétua por genocídio durante Guerra da Bósnia

Haia, 22 nov (EFE).- O Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII) sentenciou nesta quarta-feira o ex-militar sérvio-bósnio Ratko Mladic à prisão perpétua como "culpado" por genocídio e crimes contra a humanidade.

O ex-militar sérvio-bósnio Ratko Mladic "compartilhava a intenção" e "o objetivo criminoso" de exterminar os muçulmanos e croatas durante a Guerra da Bósnia entre 1992 e 1995, disse o presidente do Tribunal, Alphons Orie.

O juiz afirmou que Mladic era parte de "uma equipe criminosa" que buscava a extermínio "de civis" da Bósnia.

Além disso, o responsabilizou pela "ordenação" do massacre em Sarajevo, pois "propôs e ordenou" o extermínio da população muçulmana residente na cidade.

Sua intenção, acrescentou Orie, era "destruir" a cidade, impedir o acesso dos civis à água, comida e eletricidade, e que estes "vivessem em uma situação de estresse e assédio" que provocasse o terror entre a população de Sarajevo.

Mladic sofreu uma "crise de hipertensão" enquanto escutava a sentença e pediu aos gritos um adiamento da sessão, o que fez o juiz expulsá-lo da sala.

Ratko Mladic, conhecido como o "Carniceiro de Srebrenica", se declarou inocente de todas as acusações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos