Otan celebra condenação de Mladic à prisão perpétua

Bruxelas, 22 nov (EFE).- O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, expressou nesta quarta-feira satisfação pela condenação à prisão perpétua do ex-general sérvio-bósnio Ratko Mladic por crimes de contra a humanidade e genocídio durante a Guerra da Bósnia (1992-1995) e disse acreditar que a mesma impulsionará a "paz e a reconciliação" nos Balcãs.

"Celebro a sentença do tribunal da ONU contra Ratko Mladic. Demonstra que o Estado de direito está funcionando e que os responsáveis por crimes de guerra prestarão contas", indicou Stoltenberg em comunicado.

O secretário-geral disse acreditar também que a sentença de hoje, ditada em Haia pelo Tribunal Penal Internacional para a Antiga Iugoslávia (TPII), "fará avançar pelo caminho da paz e da reconciliação".

Mladic, conhecido como "Carniceiro dos Bálcãs", foi condenado nesta quarta-feira à prisão perpétua por este tribunal impulsionado pela ONU, que o considerou "culpado" de crimes de contra a humanidade e genocídio, incluído o assassinato de milhares de homens e crianças bósnias no enclave de Srebrenica em 1995.

"A Otan ajudou a colocar um fim neste obscuro capítulo da história da Europa", lembrou Stoltenberg.

O político norueguês disse que os Balcãs ocidentais têm uma "importância estratégica para a nossa Aliança, que ajudou a construir a estabilidade na região durante mais de 20 anos".

A Aliança Atlântica coordenou em agosto de 1995 ataques militares sistemáticos de castigo contra os sérvio-bósnios, em uma ação combinada da aviação e da artilharia aliada.

Depois disso, em 5 outubro desse mesmo ano foi anunciado um cessar-fogo na Bósnia e Herzegovina.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos